Esperanto


Lazaro Ludoviko Zamenhof

Antaŭ 150 jaroj, la 15-an de decembro 1859, naskiĝis Ludoviko Zamenhof. Ne nur esperantistoj, sed ankaŭ Google solenas la festotagon. En la kapo de la ĉina, japana kaj korea versioj de la plej potenca serĉilo de la mondo aperis esperanta flago, kun ligo al serĉorezultoj pri Esperanto. La apero de Esperanta versio de la logotipo de Google ŝajnas esti rezulto de esperantista kampanjo. Simila logotipo aperis ankaŭ en multaj eŭropaj versioj de la serĉilo, kiam la 15-a de decembro atingis tien.

O Esperanto é uma língua auxiliar de comunicação internacional. Criada em 1887 pelo médico e linguista judeu-polonês Dr. Lázaro Luís Zamenhof (Ludwig Lazar Zamenhof), com o objetivo de facilitar a comunicação entre povos de diferentes línguas.

Possui uma gramática com apenas 16 regras, sem exceções, e seu vocabulário tem origem em línguas latinas (maior porcentual de palavras), germânicas, eslavas e gregas.

Em 1954, é reconhecida como idioma internacional pela Unesco. Aliás, por duas vezes a ONU através da Unesco, em 1954 e em 1985, reconheceu o Esperanto e seu desenvolvimento no campo internacional. Além disso, a Unesco recomendou aos estados-membros que ampliassem o ensino do Esperanto.


Cristovam Buarque

Este nome é que deveria estar à frente da Presidência da República no Brasil. Ele faz a diferença e é preocupado com a Educação em todos o níveis.
Pela Educação há mudanças.

Após aprovação no Senado, o projeto de lei propondo o ensino
facultativo do Esperanto nas escolas de ensino médio seguiu para
a Câmara dos Deputados. Lá a CEC-Comissão de Educação
e Cultura analisa o assunto, que tem o código PL (Projeto de Lei) 6162/2009:

http://www.camara.gov.br/sileg/Prop_Detalhe.asp?id=454210

Acabou de ser nomeado o relator, deputado Neilton Mulim (Partido da
República/RJ),
de profissão professor de matemática e psicopedagogo, que já foi vereador
em São Gonçalo-RJ, e cuja biografia (em português) pode-se ler em

http://www2.camara.gov.br/internet/deputados/biodeputado/index.html?nome=NEILTON+MULIM&leg=53

Se endereço eletrônico é: dep.neiltonmulim@camara.gov.br

Mas todos os membros da comissão já podem fazer emendas ao projeto. São eles

http://www2.camara.gov.br/comissoes/cec/membros

Preside a comissão a professoraMaria do Rosário (PT/RS):
dep.mariadorosario@camara.gov.br

Se escreverem ao menos à presidente e ao relator, em apoio como se
fez no caso dos senadores, isso será de granda ajuda.

Esperanto pode virar disciplina facultativa nas escolas
Comissão de Educação do Senado aprova projeto do senador Cristovam Buarque (PDT-DF) que determina que o esperanto seja incluído na lista de disciplinas facultativas. Texto ainda precisa passar pela Câmara.

Enquanto o Senado se prepara para votar a polêmica reforma eleitoral, a Comissão de Educação, Cultura e Esporte da Casa aprovou na tarde desta terça-feira (15) um inusitado projeto que inclui o esperanto como disciplina facultativa no ensino médio das escolas brasileiras.

O projeto, de autoria do senador Cristovam Buarque (PDT-DF), candidato a presidente da República em 2006, inclui um parágrafo no artigo 26 da Lei de Diretrizes e Bases dizendo que as aulas de esperanto são facultativas, mas que “sua oferta se torna obrigatória caso a demanda justifique”. Pelo texto, as escolas terão três anos para se adequar à lei.

Na justificativa do projeto, Buarque, que foi reitor da Universidade de Brasília (UnB), diz que “se a escola quer ser um agente da paz”, o ensino do esperanto “pode ser um fator importante, não só pelo idioma que oferece, como também pelo espírito de pacifismo que simboliza”. O senador cita ainda o criador do idioma, o polonês Ludwik Lejzer Zamenhof, e lembra que seu objetivo era criar uma “língua franca internacional”, mas afirma que “o sonho [de Zamenhof] certamente não se realizará pela generalização do idioma que ele criou, porque o inglês” será o veículo de integração linguística no mundo. Até que isso ocorra, prossegue a justificativa de Cristovam, “o esperanto é um instrumento de comunicação entre centenas de milhões de pessoas ao redor do mundo e muito, mais que isso, é parte de um imenso movimento pela paz”.
Na comissão, o projeto foi relatado por Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR), que recomendou a aprovação da lei pois “a universalização do conhecimento do esperanto pode representar um fomento à paz entre as nações”. Para Mozarildo, isso será muito significativo pois as nações também entram em conflitos de natureza cultural, “como já aconteceu na luta pela hegemonia entre o francês e o inglês e que pode em futuro próximo ocorrer entre o inglês e o mandarim”.

Gerson Camata (PMDB-ES) e Roberto Cavalcanti (PRB-PB) votaram contra o projeto. Segundo a Agência Senado, Camata disse que o projeto é “inútil”, pois quem aprender o esperanto não terá com quem praticar a nova língua. Ainda assim, o texto foi aprovado como decisão terminativa (não precisa passar pelo plenário da casa) e segue direto para a Câmara.
Fonte: Revista Época – Setembro de 2009

Em 04 de Agosto de 2010, começou na UNICAMP o curso oficial de esperanto, a disciplina AM047A, com mais de vinte inscritos. Este vem a somar aos vários cursos de universidades brasileiras, e aos das universidades do mundo.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: